Entrevistas

Ao longo de mais de um ano de projeto, entrevistamos muitas pessoas, homens e mulheres, que foram importantes para o movimento negro de Pernambuco. Ao longo desta página iremos comentar algumas dessas entrevistas já feitas, bem como das próximas que faremos. Todas as entrevistas estão à disposição de quem se interesse pelo assunto no Laboratório de História Oral do Departamento de História, localizado no 11o. andar do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), da UFPE.

 Ana Márcia








Amaro da Silva Vila Nova, conhecido como Xoxo, dirigente do Maracatu Nação Gato Preto.
Entrevistado no dia 09 de abril de 2009 por Isabel Guillen e Ivaldo Marciano, às 20:00 horas, em sua residência no Alto do Rosário.
Desta entrevista se destacaram as memórias do entrevistado acerca do Maracatu Nação Indiano, e de sua participação no mesmo, bem como do Maracatu Nação Leão Coroado e de seu articulador, Luís de França. Como havia uma acirrada disputa entre os dois grupos, a entrevista de Xoxo nos proporciona uma excelente narrativa sobre as estratégias dos articuladores dos maracatus para resolverem essas disputas, principalmente através de "trabalhos", "feitiços" e outros poderes mágicos.

Armando Arruda
Importante ativista de diversos grupos de maracatu, tendo contribuído para a criação e recriação de muitos grupos. Armando Arruda participa de uma extensa comunidade de memória acerca de maracatus como: Indiano, Estrela Brilhante (de Mola) Porto Rico do Oriente (Eudes).








Brivaldo José de Souza
Participou ativamente do afoxé Alafin Oyó, compondo a diretoria em muitos momentos, além de ter sido compositor e cantor do grupo. Também  foi um dos criadores da Terça Negra, e contribuiu para sua realização por muitos anos. 
















Edilson
Edvaldo Ramos















Inaldete









 Ivo Rodrigues
Reconhecido ativista do movimento cultural que pensa a negritude em Pernambuco, Ivo Rodrigues participa de grupos de teatro de rua, como Arteiros e Ifá-Rhadhá de Arte Negra. Participou de afoxés e maracatus, além de ser membro do MNU.
Entrevistado no dia 11 de maio de 2009, em sua residência, no bairro de Ouro Preto Olinda, por Isabel Guillen.
De sua entrevista destaca-se a importância que os grupos de teatro tiveram na afirmação da negritude, a exemplo do grupo formado por Zumbi Bahia e outros, e que também foram responsáveis pela fundação dos afoxés na década de 1980. 
Como inspirador dessa negritude, Ivo Rodrigues destacou a importância de Solano Trindade e de sua obra poética, recriada em muitas peças encenadas por grupos diversos. 



José de Oliveira 
Ativo militante do Movimento Negro Unificado, participou também de diversos movimentos sociais na região metropolitana de Recife, bem como do Partido dos Trabalhadores.


Lepê Correia








 




Lindivaldo Júnior
  
Malu
















Marcos Pereira


Martha Rosa


Regina Célia (Mana)

Mais conhecida como Mana, participou do Maracatu Leão Coroado, quando este grupo era dirigido por Luis de França. Regina Célia foi criada desde menina como uma filha por Luis de França, e com ele conviveu até sua morte.













Roberto Barros
Importante maracatuzeiro, foi articulador e dirigente do Maracatu Elefante, recriado em 1986. Conviveu ativamente com Dona Madalena, rainha do Elefante,  Rosinete, sua neta, além de Luis de França de muitos outros maracatuzeiros.
















Rosilene















Sebastião José da Silva (Boneco de Mola)


Ubiracy



Walter
Participou ativamente de diversos grupos de teatro, tendo convivido com Zumbi Bahia, Ivo Rodrigues, dentre outros que também faziam movimento negro na década de 1980-1990.