domingo, 30 de janeiro de 2011

Amauri Cunha


Amauri Cunha há anos tem se destacado no cenário do movimento cultural negro da região metropolitana do Recife, por ser o articulador da Terça Negra e por ter acompanhado Naná Vasconcelos, como locutor, ao longo destes anos, nos ensaios e articulações para a realização do show de abertura do carnaval do Recife, que ocorre toda sexta-feira no Marco Zero.
Realizamos uma entrevista com Amauri no dia 25 de janeiro de 2011, quando discutimos os assuntos acima abordados, bem como, dente outros assuntos, seu trabalho como designer, artista plástico, responsável pela identidade visual de muitos momentos do movimento negro pernambucano, expressos nos cartazes e panfletos de shows, passeatas e encontros.

domingo, 11 de abril de 2010

Ubiracy e o Bacnaré




Ubiracy Barbosa Ferreira, atuamente dirigente do Maracatu Sol Nascente, e também foi o responsável pela reativação deste maracatu. Participou intensamente do Balé Primitivo de Arte Negra, juntamente com Zumbi Bahia. Posteriorment fundou o Bacnaré (Balé de Cultura de Arte Negra).

 Grupo de dança, coreografado por Ubiracy. Imagem do acervo de Ubiracy.


Sebastião José da Silva

Sebastião José da Silva, conhecido como Boneco de Mola, participou intensamente do mundo do samba pernambucano, como compositor de diversos sambas enredos de escolas de samba.

Regina Célia (Mana)

Regina Célia da Silva

Mais conhecida como Mana, participou do Maracatu Leão Coroado, quando este grupo era dirigido por Luis de França. Regina Célia foi criada desde menina como uma filha por Luis de França, e com ele conviveu até sua morte. Participa de uma ampla comunidade de memória sobre a história dos que fizeram o antigo Leão Coroado, de Luiz de França.

Walter Araújo





Walter José de Araújo Ferreira. Grande ativista dos anos 1980 e 1990 dos grupos de teatro negro da cidade do Recife, tendo participado de diversos grupos, como autor e diretor. Também participou do CENPE.

Rosilene Rodrigues dos Santos


 Rosilene Rodrigues dos Santos.

Ativista do movimento negro em Pernambuco, Rosilene hoje trabalha com as política públicas de promoção da igualdade racial na prefeitura da Cidade do Recife. Mas sua história de vida revela uma mulher determinada a se construir enquanto mulher e negra, e criar oportunidades para todos e todas que lutaram pelo reconhecimento de sua negritude. Nesse sentido, sua entrevista se destaca por discutir os espaços culturais onde as identidades foram se construíndo, e as estratégias dos grupos utilizadas na construção dessas identidades. Participou da organização cultural Djumbai.

Lindvaldo Júnior




Lindvaldo Júnior trabalhou nas duas gestões do prefeito João Paulo no Núcleo de Cultura Afro da Cidade do Recife, órgão que ficou responsável, em grande medida, pela definição das políticas públicas para os movimentos culturais de negros e negras. O Núcleo de Cultura Afro foi responsável pela organização da Noite dos Tambores Silenciosos e pelo show de abertura do carnaval com Naná Vasconcelos e os maracatus. Destaque-se que, além do carnaval o Núcleo organizou diversas exposições sobre as expressões culturais afro-descendente, tendo produzido material sobre os afoxés, terreiros e outras expressões culturais.
Além dessa importante atuação, Júnior também participou por mais de uma década do Movimento Negro Unificado.